11 comentários sobre “664

  1. Meu caro Luis

    Eu me confesso:

    1º.- De ter feito hoxe dois comentários sobre a imagem 661, depois misteriosamente dessaparecidos. Sospeito que forom julgados irreverentes pela minha parte, e pelo tanto fulminados. Deduzo en consecuencia que cometi falta grave contra sua pessoa ou da mulher que nela mora.
    Peço o teu perdâo por minha accâo irresponsavel.

    2º.- Como tinha feito outros dois comentários sobre a tua foto titulada SEI LA em Desafios, e por temor a ter incorrido no mesmo delito, fui lá axinha e borrei-os, deixando um rasto que nâo pude eliminar.
    Peço perdâo pela minha omisâo.

    3º.- Nos tais comentários ali borrados, confessava ter pegado nelas, apanhado e instalado em minha propriedade na quinta de CONCORNO, duas imagems de entre ‘AS MIL’, con noturnidade, porque eran as únicas no mundo que serviam as minhas intençôes. Um roubo coas 5 letras a vista. Arrependido de imediato, prometia devoluçâo do roubado em quanto me for requerido.
    Sâo elas, a nº 629 e outra que já nâo localizo que tem referencia F1040007a.
    Peço perdâo, e mantenho minha promessa de restituir o roubado.

    4º.- Peço perdâo a esta mesma imagem nº, deixa ver, 664, por ter usado o seu caixinho de coments como se fosse um confissonario, vulnerando o seu proprio dereito de imagem e sua intimidade. Como atenuante dizer que fui por nâo ter atopado o teu enderezo e-mail por ningures.

    5º.- Peço perdâo preventivo, por mais dois comentários meus na imagem nº 656.

    E uma Súplica. Vai-la e, se fazes favor, pon aquilo dereitinho antes de que se venha tudo abaixo.

    Peço-te absoluçâo e penitencia.

    Amen.

    PD. Tudo isto ten-me passado por passar uma noite pesada, adoecendo do estómago e co sono extraviado. As desgraças nunca venhem soas, bem é verdade.

  2. bemsalgado,

    Nunca apaguei comentários de ninguém nem nunca me senti ofendido com nada que me tenham “aqui” escrito.

    E os teus só me deixam contente. Muitas vezes escrevo nem sei porquê, Escrevo, escrevo, e no final por vezes apago tudo, assim que termino. Porque pressinto que ninguém vai perceber nada do que me veio à cabeça. Muitas vezes nem eu percebo, se por acaso for reler no dia seguinte.

    Mas há aqui um prazer imenso de brincar com as coisas e com as palavras, que sei também há em ti.

    Tudo isto para dizer e pedir que que digas tudo o que tem vem à cabeça porque é dessa liberdade que gosto e que aprecio que tenhas.

    Sobre as fotografias não podes roubar o que não é meu. Eu só carreguei no botão. Lembras-te do que disseste sobre a tua foto dos “olhares”, que o mérito estaria nelas? Pois…

    No final da página do 1000 imagens está lá assim: “Se por acaso gostarem de alguma o suficiente para a quererem, podem ficar com ela, usá-la, alterá-la, o que quiserem. É para isso que todas as coisas existem.”

  3. Já estou por aqui de novo. Sei que andas por ahi, mas eu nâo te vejo.

    Nâo fazes ideia do bem que me prestou esta visitinha.

    Fico coa conciencia lavada, limpa, passada ao ferro e almidonada.
    Pronta para voltar a suxa-la.

    Perdoa que me interrompa.

    Milagre!! Luis, Milagre!!
    O que nâo via, ja o vejo. Estâo ahi. Sim.

    Estâo ahi as palavrinhas postas, tudas, a caron dessa Dama Linda.
    E direitinhas, sem borrôes. Nâo falta nem a primeira letrinha.
    As que eu lhe pus a mulher engraçada essa que mora no 661.

    Muito requintada a garota, né?
    Passa lá ver quando puderes.

    Agora sego.
    Vou ver onde meti o papelcinho. Momento.

    Milhor, volto depois. vai

  4. sei que me compreendes
    'A mim, quando um desconhecido me diz “Bom dia”, e percebo que o fez prestándome atençâo, precisso tomar-me ao menos tres dias para saber qué contestar-lhe.
    E voçé o fez.
    Agora bem, se voçé quiser dê-me por desculpado pela minha demora, e se nâo, nâo.'

  5. Por falar nisso, qual é o dia da Senhora?

    Ou nos céus não há senhoras? Não é que me importe, que não me parece que fosse a tempo de ainda reservar um lugar.

  6. Luis nâo sei que queres que te diga.

    A senhora é ama de casa, como tú bem sabes, asim como o Senhor é amo de tudo.

    Debe estar a mudar os lençois ao meninho Jesus.

    ¿E que nâo tens outra coisa em que pensar?

    Digo eu.

    Tinha-te em falta.

    Um abraço

  7. De facto diz-se que ela ama e eu amo, por isso também são as senhoras amas e nós amos.

    A gente não pensa. As coisas é que nos passam pela cabeça. E ainda bem que passam, senão não tínhamos onde as pôr a todas.

    E come-as tu, por favor, que tenho andado um pouco adoentado e com falta de apetite.

Deixar uma resposta