877

chão

Não sei bem porquê, adorei esta foto assim que a vi na máquina. Gostei das cores, do enquadramento. Do raio de luz que ilumina os sapatos como se fossem divinos.

Mas se calhar gostei por tudo o que não se vê, mas se advinha.
Como serão os donos daqueles pés, para onde vão? E que pensam, o que sentem?

Imaginei uma vida para cada um deles.

5 comentários sobre “877

  1. Eu ainda estou perdido na 872.

    Já me deu moito mais do que tem. E já a vejo com outros olhos, mais perto do fotógrafo, creio.

    Em portugués fala-se em goraz, nos de olho-mol.

    Vou procurar um 878 de cualquer coisa.

  2. Chão que nos prende à terra, sendo terra o que de palpável nos fixa …
    Maravilhosas e poderosas fotos.
    Já nem peço para aguçares esse “olho clinico de FOTOGRAFO”, já só peço para não parares de o utilizar … assim … :)))))

  3. Chão que nos prende à terra, sendo terra o que de palpável nos fixa …
    Maravilhosas e poderosas fotos.
    Já nem peço para aguçares esse “olho clinico de FOTOGRAFO”, já só peço para não parares de o utilizar … assim … :)))))

  4. Quem escreveu isto

    Quero voar
    -mas saem da lama
    garras de chão
    que me prendem os tornozelos.

    escreveu isto

    Mas é do destino
    de quem ama
    ouvir um violino
    até na lama.

    noves fora nada

  5. Aquele guarda chuva é o que primeiro me impressionou.
    Não me pergunte porquê…?
    É um objeto tão normal, e não sei explicar os sentimentos que me trouxe…!
    Talvez saiba mas não queira lembrar.
    As suas fotografias são maravilhosas e ninguém pode ficar indiferente ao vê-las!

Deixar uma resposta